Euroyouth


Avenida Miguel Bombarda, 1, 1º esq.
1000-207 Lisboa - Portugal
info@euroyouth.org
Tel: (+351) 21 8870030

PIA2: Artigo GP e Formação Profissional
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PROJETO PARA A FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Nuno Menaia : Formador AFTEBI : Covilhã (PT)

Num contexto de mercado tão competitivo, é evidente que um processo formativo assente numa elevada componente prática, como são os cursos de especialização tecnológica, se revela necessário e atrativo para as empresas. No entanto, para além das componentes técnicas/tecnológicas, já perfeitamente apropriadas, o corpo formativo deve empenhar-se em dinamizar outras aprendizagens, nomeadamente a Gestão de Projetos.

Leia mais em baixo, ou descarregue o artigo em .PDF.


 

 

 

IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PROJETO PARA A FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Nuno Menaia : Formador AFTEBI : Covilhã (PT) : Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

A missão das escolas, principalmente as que mais diretamente lidam com o mercado de trabalho, passa por dar ênfase à empregabilidade dos seus diplomados. Assim sendo, o sucesso da escola mede-se pela empregabilidade dos seus alunos e, consequentemente, pela procura crescente dos seus diplomados.

Para conseguir atingir tal desígnio, a escola deve por um lado compreender as necessidades efetivas das empresas (mercado de trabalho) e, por outro lado, enfatizar a preparação dos alunos, dotando-os de competências técnicas/tecnológicas, mas também sociais/relacionais.

É pois fundamental a proximidade às empresas, bem como o recrutamento de docentes com forte ligação ao contexto real de trabalho e, mérito profissional comprovado. Desta forma, consegue-se uma forte ligação às empresas e a identificação das suas reais necessidades, condições estas, imprescindíveis para o sucesso duma formação que garanta a empregabilidade.

Num contexto de mercado tão competitivo, é evidente que um processo formativo assente numa elevada componente prática, como são os cursos de especialização tecnológica, se revela necessário e atrativo para as empresas. No entanto, para além das componentes técnicas/tecnológicas, já perfeitamente apropriadas, o corpo formativo deve empenhar-se em dinamizar outras aprendizagens, nomeadamente a Gestão de Projetos. Neste sentido, a aprendizagem com base na Gestão de Projetos afigura-se absolutamente decisiva para melhorar a capacidade de planeamento, execução e trabalho em equipa, atualmente tão fundamentais no contexto empresarial.

A estreita ligação da AFTEBI com o mercado de trabalho, surge desde a sua fundação e é a razão da sua existência, constituindo-se naturalmente como um dos segredos do seu sucesso. O objectivo permanente de "abraçar" as empresas tem-se consubstanciado em desafios permanentes, incluindo projetos de formação-ação em PME's e, outras iniciativas diversas que visam o apoio às empresas com vista ao seu crescimento e sustentabilidade. Os diagnósticos efectuados revelam carências a diversos níveis, podendo de facto salientar-se uma forte expressão ao nível do planeamento e controlo dos processos de produção e, consequentemente de gestão. Num tecido empresarial constituído maioritariamente por PME's, a transferência de ferramentas de Gestão de Projetos para o seio das empresas, nesta fase por via dos profissionais formados na AFTEBI, permitirá seguramente melhorar a sua competitividade.

Investir na aprendizagem, utilizando ferramentas de gestão de projetos, permite aumentar a capacidade de integração, envolvimento e sucesso dos alunos e aumentar a interdisciplinaridade e articulação entre os docentes. Estas são condições críticas para a empregabilidade e, portanto, para o sucesso dos jovens formados por esta escola. Para além disso, terá ainda a virtude de poder disseminar as ferramentas junto de um tecido empresarial carente, logo deste a componente de estágio curricular. Desta forma, o sucesso da formação profissional passa também por conseguir ser um efectivo veículo de transferência e disseminação de conhecimentos. É pois uma estratégia de ganha/ganha.

A participação neste projeto e a adoção da metodologia/ferramentas do PIA2 em contexto formativo, conduziu a que se iniciasse um momento de reflexão pós-projeto, em que a AFTEBI irá continuar a testar as ferramentas do PIA2, a adapta-las às suas necessidades e a disseminar a sua utilização em disciplinas ou em interdisciplinaridade, como por exemplo na elaboração de projetos finais de curso.

Outro passo que se assume como estratégico, será promover a adoção desta metodologia e a apropriação efetiva das várias ferramentas de gestão de projetos por parte das empresas, mas agora agindo diretamente com outros atores: empresários, gestores de topo, diretores de produção, etc..

De facto, surge agora a oportunidade de potenciar e transferir o uso desta metodologia para um contexto profissional, convergindo com as politicas sócio-económicas e com a sustentabilidade das empresas.